domingo, 19 de junho de 2016

Sou uma procrastinadora

Se você não sabe o significado da palavra "procrastinação", ou você trate de olhar agora mesmo no dicionário, ou tente entender minha explicação, porque não vou colocar o real meaning aqui. Sabe quando você tem que estudar para uma prova, mas não tá afim? Ou quando têm que tomar uma decisão importante? O ato de adiar essas coisas é chamado de procrastinação.
Eu tenho a mania de ser meio organizada, então gosto de arrumar meu quarto (sim). Só que sempre antes de estudar, eu tenho que ter arrumado tudo, se não, não rola. Então eu coloco uma musiquinha, vou cantando, dançando e arrumando. O problema é que eu fico ouvindo a musiquinha, relaxo, ou até arranjo outra coisa para fazer. E estudar que é bom (mentira), nada!
Eu tenho que fazer um trabalho de português para terça-feira. Estou escrevendo isso num domingo. Já comecei a fazer o trabalho? "QUE? QUE TRABALHO? Tenho até amanhã para fazer isso!" (Essa é a minha resposta para a pergunta acima, caso você não tenha percebido). Claro que o fato de o trabalho ser em grupo facilita a procrastinação, já que todos têm que fazer alguma coisa (sabemos que não é bem assim; sempre tem um que tem mais trabalho) e responder no grupinho do WhatsApp, então o tempo vai passando e ninguém faz nada.
Outra coisa que me torna uma procrastinadora, é quando eu tenho que ir para algum lugar e não quero. Demoro para me arrumar, fico fazendo nada na cama, só com o pensamento de "droga, eu tenho mesmo que ir...".
Agora, se você se identificou com alguma dessas situações, pode crer que não está sozinho. Espero mesmo que um dia eu deixe a procrastinação de lado e vá fazer as coisas sem adiar mas, cá entre nós, sabemos que isso provavelmente não vai acontecer.

domingo, 12 de junho de 2016

Minhas aventuras no ônibus

Vocês provavelmente não vão achar nada demais as minhas histórias ou os meus dilemas, mas eu vou contar mesmo assim. Ônibus é um meio de transporte do dia-a-dia de muita gente, e parece ser uma coisa insignificante (e é, Bárbara!), mas rende uma boa dose de risadas ou dramas. O pior de tudo, é quando tu tá quase chegando na parada e o ônibus passa e tu não chega a tempo. Ô coisa chata! Aí tu tenta dar aquela corridinha básica - "vai que o motorista para um pouquinho depois e abra a porta pra mim" -, mas parece que os caras não fazem questão de serem gentis. Só o que resta é se lamentar e esperar...
Um dia o cobrador foi me devolver o troco - era em moedas - e quando eu fui passar a roleta, com o troco na mão, o ônibus deu aquela freada LEGAL e minhas moedas caíram todas no chão do bus. Uma voou, inclusive. Um cara muito queridão pegou e me devolveu (aliás, se você estiver lendo isso, obrigada de novo). Não tinha muito porquê, afinal essas coisas acontecem com qualquer um, mas eu fiquei com uma baita de uma vergonha. Sentei imediatamente e torci para que ninguém tivesse dado muita bola.
Mas o melhor são as conversas do ônibus. Eu não fico de fone ou mexendo no celular porque tenho medo de ser assaltada (sim, tenho isso graças aos meus queridos papais), então o que me resta é dormir, ler ou ouvir a conversa dos outros. Tinha uma mulher um dia que não conhecia o bairro direito e começou a bater boca com o cobrador e com o motorista, nem lembro exatamente porque. Ela não deve ter entendido alguma informação que pediu. Tive que me segurar muito para não rir, pois claramente ela estava brava sem razão.
Ah, e às vezes senta umas pessoas do teu lado... Com cheiro de cigarro, suada, ou que não para de se mexer. Outra coisa horrível é quando tem alguém do teu lado no celular e tu fica com aquela vontade enorme de olhar o que a pessoa está fazendo (pelo menos comigo é assim, sou dessas curiosas). Bom, provavelmente vou continuar passando vergonha e me irritando algumas vezes nesse veículo TÃO LEGAL (se você não percebeu a ironia, meus parabéns: você não tem senso de humor - to brincando, beijinho para você), but the life goes on anyway.

sábado, 11 de junho de 2016

A verdade sobre os gatos

"Gato preto dá azar", "Gato é sem graça", "Prefiro cachorro, ele é mais fiel". Essas são algumas das frases que eu escuto seguidamente sobre esses bichinhos tão amados. Eu tenho duas, e elas brincam, dormem no colo, correm e conversam (sim). Muita gente é preconceituosa em relação à gatos, e talvez porque nunca tiveram um. Minha gata mais novinha (3 anos) pede para subir em cima do meu guarda-roupa seguidamente. A gente abre uma porta e ela já vai subindo tudo sozinha. Aí depois mia para descer. A mais velha (4 anos) brinca de esconde-esconde comigo direitinho. Além disso, as duas brincam entre si de lutinha, o que é a coisa mais fofa de se ver. Quando chegamos em casa, geralmente uma das duas - se não ambas - nos esperam na porta, na maior alegria porque estamos de volta. São seres muito queridos e dóceis, mas claro que isso depende do comportamento do dono com o animal.
Enquanto eu escrevo isso, minha gata mais velha está deitada no meu colo, se lambendo toda e enchendo minha calça de pêlo. Ah, isso é uma coisa ruim: fica pêlo por toda a casa, uma poeira só! E também é legal castrar, o que te faz gastar um pouco de dinheiro (além da ração e terrinha - outra vantagem de ter gato: ele faz suas necessidades no lugar certo).
A moral desse texto, é para que VOCÊ, que julga (no sentido ruim) algum animal só pelo fato de ter outro, se ligar e procurar conhecer antes de falar alguma coisa. Eu não posso falar que hamsters são chatos porque eu nunca tive um, ou nunca conversei sobre o animal com alguém que tivesse. Claro que podemos ter preferência por algum bichinho, isso é normal. Mas procure conhecer! Espero que esse pequeno sermão tenha servido para alguma coisa. Se não serviu, tudo bem, gostei de escrever ele mesmo assim. E se você está na dúvida de ter um gatinho ou não, TENHA e dê MUITO AMOR, pois ele responderá da mesma maneira.

O que eu penso sobre "Feminismo"

Faz um bom tempo que tenho visto o assunto "Feminismo" em questão em várias redes sociais e debates. Feministas clamando por igualdade, criticando várias coisas, e "antifeministas" fazendo piada de tudo. Tenho que dizer que discordo de ambos. Existe sim uma desigualdade entre homens e mulheres na nossa sociedade. Na maioria das vezes, homens não se preocupam em andar sozinhos na rua, ou às vezes ganham mais respeito só pelo fato de serem homens. Sim, isso existe. Mas nem tudo é machismo ou opressão. Claro que essas e outras questões devem ser levadas em conta e mudadas, mas usando o feminismo para culpar tudo que existe de ruim na sociedade não é a forma certa.
De acordo com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, todos temos os mesmos direitos ("à vida, à liberdade e à segurança pessoal"), e isso deve ser respeitado, sim. O fato de ser mulher não deve me impedir de ir mais longe, de ser melhor que muitos homens, isso é um fato. Como é bom a maioria das pessoas saberem disso! Concordo com muitas coisas que o feminismo defende, mas não me considero uma feminista. Não me considero, pois para as mesmas tudo é motivo de discussão e revolta, e praticamente qualquer comentário que é contrário ao delas, é machismo. Também penso que os homens devem aprender a fazer as coisas certas e a tratar bem uma mulher desde pequenos, e simplesmente porque isso é o certo. Agora, usar muitas vezes o feminismo como meio de crítica à politica, a partidos e a políticos... "para que tá feio".
Por outro lado, a maioria dos assuntos trazidos pelo feminismo são sérios, e não devem ser motivo de piada ou "agressão". Mas o que tem de errado em não ser feminista? O que tem de errado em ter uma opinião diferente? O que todo mundo quer é liberdade, mas estamos realmente usufruindo dela e respeitando as opiniões de todo mundo? Desde quando se manifestar contra alguma coisa te faz ser burro? Ouvi muitas reclamações de opressão, mas será que confrontar sempre quem tem uma ideologia diferente da sua, não seria um tipo de opressão? Mais paz e amor no coração, por favor.